quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Caminho...

















Quanto tempo,desde que o abismo se abriu e decidi olhar ao fundo,ao mais escuro, e ao mais denso de mim.
Por Glória dos tempos, e Misericórdia das Mães, os degraus foram surgindo, e pude subir à tona mais uma vez,mas agora lúcida e mais preparada para subir a outros lugares,onde a vista não alcança, acima de toda superfície e todo superficial.
Querer alcançar a compreensão do brilho da estrela,e conquistar  meu próprio brilho,sem deixar que as sombras se transfigurem.
É um propósito compreensível a poucos olhos, mas aberto aos meus. E me saber acompanhada, revestida de uma Luz que lutei por conseguir,e em parte,recebi por "Gratitude" de seres iluminados junto a mim.
É poder suspirar sentindo que a Vida tem um sentido, e senti-lo, tem muito mais a ver com a humildade de um dia se entender pequena. A criança em face ao mundo, com tantas coisas pra viver...
Obrigada por me permitir vislumbrar a centelha de sua Face!
=)

Um comentário:

Prof. Fred Bandeira disse...

Jose, você, ao menos eu desconfio, não pode ser daqui; mas também não dali ou de acolá. Você parece não pertencer a esse espaço físico, finito e, quase sempre, opressor. Sim, opressor, porque para partir em busca da estrela, da luz, só pode brotar de quem não se encaixa, não se enquadra, não se conforma com a pequenez e as tímidas vontades dos que estão à volta. Queria também poder ajudar a você a alcançá-los, porém, o problema é que eu, embora não queira, já sinto que estou fazendo parte, sou um entre os tantos que já não mais sentem a falta do que você AINDA está sentido. Segue o seu caminho e que ele lhe sea favorável como são as chuvas à terra sedenta. Abraços.